Entrevista para Ivo Moreno

01 -IVO MORENO : QUEM É ADRIANO BEDORE ?

Difícil falar de si mesmo, não é?, mas vou tentar. Sou uma pessoa realizada apesar da vida simples que escolhi. Vivo um momento feliz, pela família que tenho, pelos amigos que fiz e ainda tenho feito, pela cidade em que nasci, vivo e tenho por ela uma grande paixão e pelo aprendizado que vem acompanhado com a maturidade. Contudo sou muito inquieto com o destino do nosso País, da nossa cidade, e com o futuro das pessoas. Inquieto com os avanços tecnológicos vividos durante minha geração, inquieto com as transformações sociológicas e estruturais que o mundo está experimentando nas últimas décadas. Ávido por saber como será viver num futuro que já chegou e esperançoso para viver dias melhores, com menos injustiça social, mais tolerância e respeito com as diferenças. E, acima de tudo, um entusiasta por acreditar ser possível contribuir com as mudanças necessárias para viver num mundo com mais qualidade de vida. Sou uma pessoa que vive intensamente seu tempo e tenta entender e buscar os melhores caminhos para encontrarmos uma coexistência pacífica para o conflito de gerações, pensamentos e o modo de viver das pessoas. Procuro sempre construir pontes entre o passado e a história que precisam ser preservados com as ações que visem preparar o lugar em que vivemos para um futuro extremamente novo até aqui.

02 – IVO MORENO : COMO É SER FILHO DO EX VEREADOR ODAIR BEDORE ?

Tenho muito orgulho do meu pai. Ele sempre foi um bom pai e acima de tudo um bom amigo. Aprendi e aprendo muitas coisas com ele, entre elas o respeito pelas divergências e o modo diferente de enxergar as coisas. Meu pai sempre respeitou as nossas diferenças filosóficas e políticas e com isto me fez aprender a respeitar os que não pensam como nós. Creio ter herdado dele uma forte tendência conciliatória, com minhas próprias caraterísticas, é claro. Como homem público ele conseguiu o que é muito raro: conquistar amigos, e o respeito até mesmo dos adversários políticos e isto me inspira bastante. Sua atuação como vereador dedicado que foi ao parlamento atibaiano por muitos anos, certamente impulsionou minha paixão pela vida pública. Aprendi com ele também a ser enfático e forte nas minhas crenças sem, contudo, perder a capacidade de escutar e tentar convergir para os pontos em comum, nos debates e nas ações. Ter acompanhado meu pai na sua trajetória política me fez compreender muito claramente que num processo democrático nada é para sempre e as mudanças são essenciais e, portanto, o apego pelo poder é muito maléfico para a pessoa e para sociedade. Aprendi com ele que o que realmente permanece é a forma ética e respeitosa com que você trata as pessoas e as ideias antagônicas à sua. Meu pai foi um importante líder político na cidade na década de 1990 e até os primeiros anos da década seguinte e mora na mesma casa que morava antes de conquistar seu primeiro mandato de vereador e isto pode parecer bobagem, mas é muito significante para um tempo onde a corrupção, infelizmente, marca muitas trajetórias políticas. Claro que cometeu erros, mas, sem nenhuma dúvida, teve muito mais acertos e isto é que acaba prevalecendo. Recentemente meu pai teve um problema de saúde e o enorme carinho que ele recebeu de amigos, antigos alinhados políticos e adversários me mostrou que sua trajetória política de erros e acertos é muito respeitada e reconhecida na cidade para a qual ele dedicou tantos anos de sua vida.

03 – IVO MORENO :  VC É ADVOGADO E JÁ FOI VEREADOR ,QUAL É MAIS DIFÍCIL?

No fundo a advocacia e a vida pública têm mais similitudes do que diferenças. Em ambas funções o que se busca é a resolução de problemas alheios. Na advocacia se busca resolver os problemas através, via de regra, da justiça e na vida pública através da política, que é a capacidade de conciliar os interesses e escolher os melhores caminhos para melhorar a vida das pessoas. São atividades complementares ao passo que o conhecimento das leis ajuda muito na arte da política e principalmente na governança, seja no poder executivo, como no legislativo. Hoje advogo muito pouco, mas creio que sempre procurei encontrar soluções mais conciliatórias no exercício da advocacia e quando estive no parlamento evidentemente minha formação jurídica ajudou muito na minha atividade parlamentar. Portanto, tenho certeza que são atividades que se complementam. Quando a gente se prepara para ocupar uma função no universo privado ou público, como eu me preparei nada é difícil. Só lamento não ter tido a oportunidade de exercer meu mandato na Câmara por mais tempo, mas no tempo em que exerci procurei dar o melhor de mim.

04 – IVO MORENO : COMO É MORAR NA NATUREZA EM UM LUGAR MARAVILHOSO COMO A SUA CASA?

Falar da minha casa é falar de um sonho realizado. Desde muito novo eu sempre fui curioso em saber sobre a origem da minha família. Nestas buscas me deparei com um dos bairros mais antigos de Atibaia que é o bairro do Itapetinga. Nas cavalgadas que fazia pelo bairro, ainda bem jovem, eu sabia que alguns dos meus antepassados, pelo lado materno, tinham habitado no bairro e eu dizia para mim mesmo: um dia eu ainda vou morar lá.
Passados os anos, meu interesse pela origem da minha família se encontrou com interesse pelo meio ambiente e por uma vida com mais sustentabilidade. No ano de 2003 apareceu uma oportunidade para eu comprar uma área no bairro Itapetinga, próximo do parque municipal da Grota Funda, e aí não hesitei e comprei. Devagar fui fazendo minha casa, que é bem modesta, mas tem a vista mais bonita da cidade e há exatos três anos eu deixei definitivamente a casa dos meus pais, onde sempre vivi, no bairro Jardim Brasil, para morar no que batizei de Villa D’Este em homenagem à região italiana onde meus antepassados pelo lado paterno viveram. Hoje vivo numa casa com personalidade própria, com lembranças ligadas à minha origem e o melhor de tudo, com uma vista linda da cidade, numa constante harmonia com a natureza e um ar extremamente puro. Portanto, sou muito privilegiado por morar ladeado pela natureza e ao mesmo tempo muito próximo da mancha urbana da cidade que vejo tão bela do alto da serra.

05 – IVO MORENO : É VERDADE QUE VC SERÁ CANDIDATO A DEPUTADO?

Fui convidado para um projeto muito ambicioso de poder discutir a cidade e a nossa região numa eleição estadual. Tenho sido estimulado por muitos amigos a encarar este projeto arrojado e ambicioso e estamos pensando com muito carinho nele. Apesar da crise político-partidária por que passa o país, acredito que entre os partidos mais antigos e consolidados, o PDT, meu atual partido, conseguiu se manter bem distante dos escândalos que assolam o Brasil, mas falando de nossa região, eu creio ser bastante positivo apresentarmos para Atibaia e região algumas alternativas para uma eleição importante onde se busca conquistar uma cadeira na assembleia legislativa do Estado. Nas últimas eleições foram postas algumas opções de voto e creio ser muito positivo oferecer novas opções de escolha para os eleitores. De uma coisa eu não tenho dúvida: a importância para Atibaia ter um representante no parlamento paulista, conquista rara durante todo século XX e neste início de século XXI. Todas as vezes que Atibaia conseguiu eleger um deputado estadual houve uma incontestável melhora no prestígio político da região e no consequente repasse das escassas verbas. Se o projeto de apresentar nosso nome como uma opção de voto aos atibaienses e aos moradores da nossa região se concretizar, me considero pronto para este novo e ousado desafio. Preciso dizer também que este projeto tem sido muito bem recebido e que hoje já não é mais um projeto partidário apenas, o que me deixa muito feliz e ao mesmo tempo consciente da enorme responsabilidade de me colocar à disposição dos eleitores de nossa cidade e da nossa região, embora nossa possível candidatura seja extremamente modesta financeiramente se comparada a fortes adversários que buscam votos por aqui. Por fim é preciso dizer também que somente a cidade de Atibaia tem um colégio eleitoral de 105 mil eleitores, ou seja, há votos suficientes para os que põem seus compromissos políticos acima dos interesses da região terem votos e ainda sobram votos suficientes para os candidatos da cidade terem chances de se eleger. Portanto, eu entendo que há espaço para todos conquistarem honestamente os votos e não faz sentido nossa região não ter seu representante pelo menos no parlamento paulista.

06 – IVO MORENO : QUAL É A SUA OPINIÃO SOBRE O GOVERNO SAULO ?

O governo Saulo vai bem em algumas áreas e noutras, infelizmente, não vai tão bem. Tenho por mim que até que se mude este equivocado modelo político será muito raro se eleger prefeito de uma cidade como se elegeu o prefeito Saulo na sua primeira eleição em 2012, ou seja, devendo seu mandato para poucas pessoas, grupos ou partidos políticos. Saulo se sagrou vencedor numa das eleições mais disputadas da história recente de Atibaia com poucos compromissos, o que poderia ter sido aproveitado para implantar muitas mudanças necessárias que são difíceis de serem implantadas quando se deve o mandato para muitas pessoas. Lamentavelmente o prefeito optou para fazer um governo evitando ao máximo as oposições, sem enxergar a importância dela, e isto num regime dito presidencialista de coalização é muito negativo. Quando estive na Câmara procurei colaborar com o governo Saulo e humildemente o aconselhei que certos aliados representariam um custo muito elevado em credibilidade e que ele não precisava fazer essas alianças. Mas infelizmente não fui ouvido pelo prefeito e ele, a meu ver, comprometeu muito do sucesso de seu governo quando buscou, a todo custo, ampliar sua base de apoios, como ainda vem fazendo, o que não haveria problemas se os apoios se firmassem em bases programáticas, mas infelizmente as bases são apenas pragmáticas com o interesse maior de se manter no poder e nada mais. De qualquer forma, como eu disse no começo da minha resposta, em algumas áreas o seu governo vai bem e noutras deixa muito a desejar.

07 – IVO MORENO : QUAL O FUTURO POLÍTICO DE ATIBAIA?

Excelente pergunta. Discutir o futuro de Atibaia é uma questão imperiosa, mas infelizmente pouco se vê hoje, entre a maioria dos grupos políticos, esta que é a discussão mais importante a meu ver, pois se refere à definição da cidade que queremos para os próximos dez, vinte, trinta, quarenta anos. Que cidade pretendemos construir agora? Indiscutivelmente Atibaia se desenvolveu muito nas últimas décadas. Tem crescido muito na arrecadação, na expansão urbana, demograficamente, mas tem deixado de ser o que mais a caracterizou até aqui na sua história, para ser mais uma cidade do interior, próxima da capital com as características negativas de uma cidade de passagem, uma cidade dormitório. Costumo sempre dizer que a localização geográfica de Atibaia é seu grande atrativo e um dos seus grandes problemas. Entendo que a cidade deva procurar manter suas principais características para não se tornar mais uma cidade comum no entorno da maior metrópole da América do Sul. Atibaia felizmente tem várias características econômicas, mas creio que sua vocação turística é muito pouca explorada, lamentavelmente. É raro uma cidade contemplar todas vertentes do turismo moderno e Atibaia tem a felicidade de possuir todos, e ainda ser extremamente bem localizada e com uma considerável rede hoteleira, mas que dá as costas para os atrativos da cidade, quase nada explorados. Pensar o futuro da cidade significa elaborar no presente estratégias de desenvolvimento que não comprometam a qualidade de vida das próximas gerações. Aliás justiça seja feita a algumas decisões tomadas por nossos últimos prefeitos: o Beto Tricoli aprovou a criação do parque linear do rio Atibaia, instituindo severas normas de ocupação da várzea do rio no intuito de conter a ampliação da área urbana inundável, e o Saulo Pedroso acaba de instituir o aparato legal para que seja perenizada o pouco que sobrou de Mata Atlântica existente na zona central do município. São duas decisões que asseguram um mínimo de conforto ambiental para os nossos descendentes. Porém precisamos de muito mais: entendo que é necessário estimular a permanência no campo dos homens do campo. O mundo todo faz isso pois tem consciência da relevância de ter um campo forte, produtivo, e que no final mantém um bem que é usufruído por todos. Muita da água consumida pelos milhões de moradores de Nova Iorque vem de nascentes existentes nas fazendas de Nova Jersey e, para que a água não seja poluída, os fazendeiros recebem o que, no Brasil, se chama de Pagamento por Serviços Ambientais. Deveríamos instituir medidas como esta por exemplo para quem labuta plantando flores no seu sítio para o seu sustento e ao mesmo tempo garante a Atibaia como a maior produtora de flores do país, pois além da renda gerada é o que assegura e dá sentido à nossa principal marca, quase uma grife que é ser “a cidade das flores”, este é o nosso principal atrativo, observando que Atibaia hoje já deixou de ser uma forte produtora de morangos, outra de nossas principais características. No pouco período que estive na câmara eu iniciei uma discussão neste sentido. E que fique bem entendido que medidas protetivas do meio ambiente não significam afugentar as indústrias. Pelo contrário: a cidade pioneira no pagamento por serviços ambientais é Extrema, aqui pertinho, ao mesmo tempo que é uma das cidades que mais cresce, mais se industrializa e mais gera emprego em toda a região.

08 – IVO MORENO :  QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE A ATUAL CÂMARA MUNICIPAL DE ATIBAIA?

É muito complicado para alguém que já tenha passado pelo parlamento, embora por muito pouco tempo, fazer uma análise sobre a atual Câmara. Para mim, o que mais me chama atenção, não se referindo somente à Câmara de Atibaia, mas sobre todos os parlamentos é a prevalência da antiga e ultrapassada lógica da situação pela situação e oposição pela oposição. Tal lógica impede que um parlamentar da oposição reconheça e apoie uma medida positiva do governo e o inverso também é verdadeiro, ou seja, um parlamentar da situação reconheça e critique ações negativas vindas do governo. Para mim, esta lógica traz grandes prejuízos para política brasileira. Outro grande problema, a meu ver, e também não se refere somente à Câmara de Atibaia, mas a quase todos os parlamentos brasileiros, é a falta de preparo de nossos parlamentares. Para os executivos de todos os níveis da administração pública, quanto menos preparados são os parlamentares mais fácil é o domínio nefasto que um poder pode exercer no outro. Não é por acaso que nossos parlamentos são formados por uma maioria despreparada, mas com voto.

09 – IVO MORENO : ATIBAIA ESTÁ DOENTE: NÃO, SIM E QUAL É O REMÉDIO?

Não é apenas Atibaia que está doente, mas todos os municípios brasileiros, na medida em que são poucos recursos orçamentários que ficam ou retornam para os municípios. A falta de recursos para os municípios brasileiros, os desvios dos poucos recursos e a incompetência dos governantes têm gerado desastrosas gestões municipais por todo país. Eu sempre fui um municipalista convicto. Defendo ferrenhamente que se faça com urgência uma grande reforma tributária, fortalecendo os municípios, dotando-os de mais recursos para que se possa verdadeiramente resolver os inúmeros problemas que um município enfrenta. Para a nossa região, por exemplo, verdadeira caixa d’agua da Grande São Paulo, o nosso representante na Assembleia tem que brigar para que recebamos valores maiores do ICMS ecológico, valor quase que insignificante atualmente. Nazaré por exemplo, tem grande parte de seu território como área de preservação e é preciso que o Estado, ou sejam, todos nós, paguemos por este importante benefício. Outra grande doença nas cidades, provocada por governantes equivocados, é a não conclusão de obras iniciadas por adversários ou no desleixo com a manutenção das obras realizadas por outras administrações. Um bom trabalho de zeladoria, a meu ver, é a primeira obrigação de um governante, pois esse é o verdadeiro sentido de cuidar do patrimônio público, do que foi investido pelos contribuintes no decorrer de décadas.

10 – IVO MORENO : TEM ALGO QUE GOSTARIA DE FALAR QUE NÃO FOI PERGUNTADO?

Quero agradecer pelas perguntas formuladas e pela oportunidade de poder falar um pouco de como penso a respeito de temas caros a todos nós. Talvez o que eu gostaria de dizer nesta última pergunta é que tenho uma esperança muito grande de ver nossa cidade, nosso Estado e nosso País melhor e, para isto, é preciso promovermos com urgência algumas reformas importantes para o Brasil, entra elas a reforma política, mãe de todas reformas, no meu entendimento. Lamentavelmente os governantes eleitos no atual processo político eleitoral não representam legitimamente, via de regra, a sociedade, posto que tal formato favorece demais os candidatos com mais recursos ou com controle de currais religiosos, geográficos, setoriais e estruturais da administração pública, quase que obstando a possibilidade de pessoas capacitadas de poder debater, com uma representação, as suas importantes propostas e projetos para o País.